agromensal – cepea/ESALQ

Informações de Mercado

 

Mês de referência: MAIO/2010

 

CEPEA - PECUÁRIA

 

I - Análise Conjuntural

 

II - Séries Estatísticas

 

1. Diferenciais de Preços – Boi Gordo (SP)

2. Diferenciais de Preços – Bezerro (MS)

3. Relações de Troca – Boi Gordo/Bezerro

4. Exportação e abate

   

III - Gráficos

        

BOI GORDO

 

1. Evolução do Indicador Esalq/BM&FBovespa (valores nominais)

2. Evolução dos preços nos mercados físico e futuro (Indicador SP e BM&FBovespa)

 

BOI E CARNE

          

1. Evolução da arroba de boi e da arroba de carcaça casada de boi em SP (valores nominais)

  

BEZERRO

          

1. Evolução do Indicador Esalq/BM&FBovespa (MS) (valores nominais)

 

 

     

CEPEA - PECUÁRIA

 

I - Análise Conjuntural

 

ANÁLISE CEPEA – Os preços da arroba subiram cerca de 1% no acumulado de maio. O Indicador do boi gordo ESALQ/BM&FBovespa (CDI – estado de São Paulo) passou de R$ 80,93 no dia 30 de abril para R$ 81,76 no dia 31.

 

Na primeira quinzena de maio, as cotações oscilaram com mais intensidade, deixando clara a sensibilidade dos preços ao interesse pontual de compradores e também ao de vendedores. Segundo pesquisadores do Cepea, a queda na temperatura trouxe muitas especulações ao mercado pecuário. Frigoríficos, com escalas um pouco mais alongadas, se retraíram na expectativa de aumento da oferta. Pecuaristas consultados pelo Cepea, no entanto, não mostraram interesse em intensificar os negócios, mantendo as ofertas limitadas a pequenos lotes. Assim, os fechamentos ocorreram apenas quando houve urgência.

 

Já na segunda quinzena do mês, os preços da arroba estiveram mais firmes. Apesar da forte pressão exercida por compradores, a baixa oferta de animais para abate sustentou as cotações no período. Com as escalas de abate encurtadas, diversos frigoríficos consultados pelo Cepea tiveram que pagar os preços maiores do intervalo de preços para fechar negócio, elevando o valor médio da arroba.

 

De modo geral, a posição retraída de pecuarista esteve fundamentada no mercado de reposição, que permaneceu com a relação de troca desfavorável e com os preços de boi magro e bezerro registrando altas superiores às da arroba. Segundo colaboradores do Cepea, a oferta de reposição esteve menor que a demanda, devido à venda acentuada de matrizes nos últimos anos.

 

Quanto ao boi magro, a procura esteve ainda mais aquecida que por bezerros. Muitos produtores consultados pelo Cepea começaram a colocar em confinamento animais para serem abatidos em alguns meses. Os preços do boi magro seguiram firmes em maio, em torno de R$ 1.000,00 por cabeça.

 

Muitos frigoríficos, por sua vez, saíram das compras em alguns períodos do mês, justificando que o desempenho das exportações em abril esteve baixo e também a elevada concorrência da carne bovina em relação às demais (suína e de frango) em maio. Houve, ainda, a interrupção dos abates por parte de mais um grupo frigorífico (Frialto).

 

Até o final de maio, segundo pesquisas do Cepea, a interrupção dos abates do Frialto teve efeito regional, em termos de diminuição dos preços da arroba. Nas praças onde o número de plantas dessa empresa é maior, a situação foi considerada bastante crítica pelos pecuaristas. O grupo é considerado um importante comprador, sobretudo em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rondônia, e entrou com pedido de recuperação judicial em maio.

 

As maiores preocupações de pecuaristas consultados pelo Cepea envolveram as incertezas ligadas aos recebimentos dos abates já efetivados, a necessidade de redirecionamento dos lotes que já haviam sido negociados com as plantas que tiveram os abates interrompidos e a diminuição do número de empresas compradoras, o que, em conjunto, reduz o poder de barganha.

 

Para a carne negociada no mercado atacadista da Grande São Paulo, o valor médio da carcaça casada de boi teve recuo de 0,19% no acumulado de maio, fechando o mês negociada a R$ 5,14/kg. O valor médio do dianteiro caiu 0,72% no acumulado do mês, com o corte negociado a R$ 4,12/kg no final do mês. O traseiro valorizou 0,32%, passando para R$ 6,30/kg.

 

Quanto às exportações, segundo a Secex, em maio, foram embarcadas 90,4 mil toneladas de carne in natura, volume 15% superior ao de abril deste ano e 20% maior que o de maio do ano passado. O preço pago por tonelada também subiu de abril para maio, passando para US$ 4 mil.

 

Análise sobre o mercado pecuário elaborada pelo Cepea.

Equipe: Prof. Sergio De Zen, Shirley Menezes, Cristiane Mariano Spadoto, Jacqueline Mariano, Camila Brito Ortelan, Priscila Alves e Thalita Diehl.

cepea@esalq.usp.br

 

 

II - Séries Estatísticas Cepea

 

1. Diferenciais de Preços - BOI GORDO

 

Boi Gordo – SP

Indicador do Boi Gordo ESALQ/BM&FBovespa – média mensal à vista R$ 80,81/@

Região

Diferenciais (R$/@)

 

Média regional

À vista CDI

Média regional

À vista NPR

Araçatuba-SP

1,884

2,907

Pres. Prudente-SP

1,898

2,609

Bauru/Marília-SP

1,216

2,738

S.J. Rio Preto/Barretos-SP

2,203

3,557

Campo Grande-MS

4,997

5,571

Dourados-MS

4,740

5,676

Três Lagoas-MS

4,541

5,561

Cuiabá-MT

6,930

8,11

Noroeste-PR

4,944

5,874

Triângulo Mineiro-MG

6,223

7,431

Goiânia-GO

6,553

7,798

Fonte: Cepea/Esalq
Notas: 1) Diferencial = Indicador – Região

         2) Na coluna “CDI”, é apresentado o diferencial calculado a partir do preço médio da região à vista, sendo que os negócios a prazo foram convertidos para à vista pela taxa de desconto “CDI”; na coluna NPR, a taxa de desconto usada é a NPR.

         3) Nas edições anteriores deste informativo, era apresentada apenas a coluna “CDI”.

*O diferencial apresentado para cada região reflete a média dos diferenciais diários.

 

2. Diferenciais de Preços - BEZERRO

Bezerro – MS

Indicador do Bezerro ESALQ/BM&FBovespa - média mensal à vista R$ 722,07*

Região

Diferenciais (R$/por cabeça)

 

Média regional

À vista CDI

Média regional

À vista NPR

Araçatuba-SP

-1,641

0,241

Pres. Prudente-SP

-1,716

-1,227

S.J. Rio Preto/Barretos-SP

-0,446

2,473

Campo Grande-MS

-0,946

2,446

Dourados-MS

0,406

8,97

Três Lagoas-MS

-2,487

-0,768

Fonte: Cepea/ESALQ

* por cabeça; bezerro nelore de 8 a 12 meses

Notas: 1) Diferencial = Indicador – Região

         2) Na coluna “CDI”, é apresentado o diferencial calculado a partir do preço médio da região à vista, sendo que os negócios a prazo foram convertidos para à vista pela taxa de desconto “CDI”; na coluna NPR, a taxa de desconto usada é a NPR.

         3) Nas edições anteriores deste informativo, era apresentada apenas a coluna “CDI”.

*O diferencial apresentado reflete a média dos diferenciais diários.

 


 

 

 

3. Relações de Troca - BOI GORDO/ BEZERRO

 

 

Relações de Troca – Boi x Bezerro

Boi Gordo Vendido x Bezerro Comprado - médias mensais

Praça de Venda do Boi Gordo*

Praça de Compra do Bezerro

 

Araçatuba

Pres.

Prudente

Bauru/

Marília

Rio Preto

Barretos

Campo Grande

Dourados

Três

Lagoas

Noroeste

Paraná

Triângulo Mineiro

Goiânia

 

Araçatuba

1,78

1,79

1,78

1,76

1,72

1,72

1,72

1,71

1,68

1,67

Pres.

Prudente

1,78

1,78

1,78

1,76

1,72

1,71

1,72

1,71

1,67

1,67

Bauru/

Marília

1,81

1,81

1,81

1,79

1,74

1,74

1,74

1,74

1,70

1,69

Rio Preto/

Barretos

1,79

1,80

1,79

1,77

1,73

1,72

1,73

1,72

1,68

1,68

Campo

Grande

1,79

1,79

1,79

1,77

1,73

1,72

1,73

1,72

1,68

1,67

 

Dourados

1,80

1,81

1,81

1,79

1,74

1,74

1,74

1,73

1,70

1,69

Três

Lagoas

1,78

1,79

1,78

1,76

1,72

1,72

1,72

1,71

1,67

1,67

Noroeste

Paraná

1,92

1,93

1,93

1,91

1,86

1,85

1,86

1,85

1,81

1,80

Triângulo Mineiro

1,96

1,96

1,96

1,94

1,89

1,89

1,89

1,88

1,84

1,83

 

Goiânia

2,03

2,04

2,04

2,02

1,97

1,96

1,97

1,96

1,92

1,91

Fonte: Cepea/Esalq
* Boi Gordo de 16,5 arrobas, bezerro: nelore de 8 a 12 meses, por cabeça; cotações à vista (NPR).

 

4. Exportação e abate

 

 

Exportação e Abate

Volume e receita de exportação de carne bovina (Secex) e volume de abate (Mapa)

 

Carne in natura

Carne industrializada

Carne Total

Abate

Nacional (Mapa)

Percentual

exportado (do abate Mapa)

 

Volume (t)

R$/t

Volume (t)

R$/t

Volume (t)

R$/t

Volume (t)

%

abr/09

85.137

546.250

24.081

161.987

109.218

708.237

418.757

26%

mai/09

75.063

483.144

22.094

142.510

97.156

625.654

451.857

22%

jun/09

89.851

566.827

22.249

141.097

112.100

707.924

457.568

24%

jul/09

82.146

536.561

20.413

129.011

102.560

665.572

474.300

22%

ago/09

72.574

473.867

19.809

117.818

92.382

591.685

438.649

21%

set/09

77.393

502.881

19.431

113.872

96.824

616.753

445.015

22%

out/09

82.445

497.544

23.223

122.043

105.669

619.586

477.499

22%

nov/09

78.710

488.166

19.107

105.710

97.817

593.876

431.978

23%

dez/09

78.034

496.567

21.408

118.002

99.442

614.568

459.891

22%

jan/10

67.026

429.852

16.111

94.633

83.136

524.485

437.297

19%

fev/10

74.311

487.932

17.886

106.884

92.197

594.817

404.420

23%

mar/10

80.190

522.489

23.685

134.235

103.875

656.725

465.979

22%

abr/10

78.427

527.446

21.430

123.165

99.857

650.611

425.824

23%

mai/10*

90.400

651.581

0

0

90.400

651.581

223.778

40%

* Os dados de abate e exportação do último mês são preliminares. Quanto aos de abate, é divulgada a atualização feita pelo Mapa, sendo que números de meses anteriores podem ser revistos.

 

- Câmbio considerado: venda 16h30 – Agência Estado (disponível: www.cepea.esalq.usp.br/series/)

 

Fontes: Secex (exportação) e Ministério da Agricultura (abate de frigoríficos sob responsabilidade das SIPAs e DFAs)

Elaboração: Cepea

 

III – Gráficos

   

BOI GORDO

 

 

 

 

BOI E CARNE

 

 

 

BEZERRO