Metodologia do Arroz em Casca ESALQ/SENAR-RS

Para acessar a metodologia completa clique aqui. 

 

ESPECIFICAÇÃO DO PRODUTO: Arroz em casca, posto indústria, com rendimento do grão de 57% maior e 58% (menor, igual e maior) de grãos inteiros, com cerca de 10% de grãos quebrados por 100 gramas. O importante é que se tenha renda do benefício de 68%, para produção de arroz beneficiado polido Tipo 1, seguindo a Instrução Normativa n. 6, de 2009, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA. Considera-se a classificação informada pelo agente colaborador. Os valores coletados pelo Cepea se referem a negócios realizados na modalidade spot, envolvendo o grão disponível no mercado ou depositado nas indústrias/cooperativas para posterior liquidação;
UNIDADE DE MEDIDA/MOEDA: Saca de 50 kg em reais e em dólar - a conversão para dólares norte-americanos é feita pela taxa de câmbio comercial de venda cotado às 16h30;
ENTREGA:  Preço do produto posto-indústria do Rio Grande do Sul (incluído frete);
REGIÃO BENEFICIADORA: Cada uma das regiões (conjuntos de municípios) de destino do arroz em casca para beneficiamento no estado do Rio Grande do Sul, quais sejam: Campanha, Depressão Central, Fronteira Oeste, Zona Sul, Planície Costeira Interna e Planície Costeira Externa. As regiões são definidas de acordo com a divisão administrativa do Instituto Rio-Grandense do Arroz – IRGA;
PONDERAÇÃO DAS REGIÕES PARA O INDICADOR:  Cada região participa com o mesmo percentual que tem no beneficiamento total do estado, segundo apontado pelo IRGA para cada ano-safra. Tendo-se todas as informações convertidas para preço à vista, líquido dos impostos e posto na indústria, calcula-se a média aritmética para cada uma das seis regiões. Estas médias regionais são, então, ponderadas pela respectiva participação do beneficiamento no total do estado no ano-safra anterior. O resultado, em reais, é o Indicador do arroz em casca do Rio Grande do Sul ESALQ/SENAR-RS;
TRATAMENTO ESTATÍSTICO: A amostra diária é submetida a dois procedimentos estatísticos: desvio padrão (são aceitos valores que estejam no intervalo de dois desvios-padrão para cima e para baixo em relação à média da amostra) e análise do coeficiente de variação;   
TAXA DE DESCONTO DOS VALORES A PRAZO:  CDI (Certificado de Depósito Interbancário). Preços divulgados à vista;
IMPOSTOS CONSIDERADOS: O valor é líquido de quaisquer impostos, como da Contribuição do Empregador Rural para Seguridade Social (CESSR) e da Taxa de Cooperação e Defesa da Orizicultura (CDO);
PERIODICIDADE: Diária;
HISTÓRICO: Desde julho de 2005;
AGENTES CONSULTADOS NA PESQUISA: Indústrias/engenhos de beneficiamento, cooperativas, secadores/armazenadores, produtores e comerciantes, através de pesquisas diárias de preços via contatos telefônicos;
OUTRAS PESQUISAS CEPEA SOBRE O MERCADO DE ARROZ:  Além do arroz em casca tipo 1, o Cepea também coleta preços do casca para diferentes rendimentos de grãos inteiros, em todas as praças de produção e comercialização do Rio Grande do Sul.

 

Fonte: Cepea

Contato

Equipe

Equipe

Coordenadores:
Geraldo Sant’Ana de Camargo Barros, Ph.D 
Professor sênior do Depto de Economia, Administração e Sociologia

 

Lucilio Rogerio Alves, Dr.
Professor do Depto de Economia, Administração e Sociologia
lralves@usp.br

 

Equipe de apoio:
Ariane Sbravatti
Maria Aparecida Nogueira Serigatto Braghetta

Séries de Preços