PIB do Agronegócio Brasileiro

O Cepea calcula o PIB do Agronegócio com apoio financeiro da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

 

                                                                                       


 

Jan-Abr/17*

PIB-Volume

 

3,9%

Jan-Abr/17*

Preços relativos

 

-3,7%

Jan-Abr/17*

PIB-Renda

 

0,1%

 Relatório Completo

*Taxas anuais calculadas com base em informações disponíveis no 1º quadrimestre. Para a produção agrícola, considera-se as mais recentes estimativas de safra.

 

Nota técnica sobre os ajustes metodológicos do PIB do Agronegócio do Brasil.

 

                                                                       

Comentários do 1º quadrimestre/17: 

 

O PIB do Agronegócio brasileiro deve se manter praticamente estável em 2017, com ligeira elevação de 0,1% (considerando-se informações disponíveis até abril/17 – PIB-renda). Conforme cálculos do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, feitos em parceria com a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), a renda do agronegócio tem sido pressionada pelo movimento de preços desfavorável ao setor. 

 

Os valores médios dos produtos do agronegócio cresceram 3,7% a menos que os preços médios da economia, na comparação entre o primeiro quadrimestre de 2017 e o mesmo período de 2016. Por outro lado, as estimativas para o PIB-volume do setor se mantêm positivas, indicando elevação de 3,9% em 2017. 

 

Pela ótica dos ramos, o agrícola segue em destaque, impulsionado principalmente pela maior produção esperada do segmento primário. Nas lavouras, as condições climáticas avaliadas até o momento foram favoráveis, o que, aliado ao movimento de expansão de área e à tendência normal de aumento da produtividade da agricultura, tem levado a boas perspectivas para a safra no ano. Tem-se, então, que a taxa anual estimada para o PIB-volume do ramo é de 6,4%, alavancada pela elevação de 20,4% no PIB-volume do segmento primário agrícola. 

 

No ramo pecuário, a análise referente ao primeiro quadrimestre do ano aponta para recuo geral dos preços, e também do PIB-volume, levando à redução anual estimada de 2,7% no seu PIB-renda. Para volume, verifica-se que o desempenho negativo do ramo se vincula principalmente à agroindústria, mas também ao segmento primário. Quanto aos preços relativos desse ramo, destaca-se a queda real para a indústria de processamento. De acordo com pesquisadores do Cepea, de modo geral, as cadeias pecuárias tiveram como desafio no quadrimestre a fraca demanda interna. Ademais, com os desdobramentos da operação Carne Fraca, as exportações também foram prejudicadas, impactando na disponibilidade dos produtos e pressionando para baixo as cotações. 

 

Clique aqui e acesse a análise completa do PIB-renda.

Contato

pibcepea@usp.br

Equipe

Equipe

Coordenador
Geraldo Sant'Ana de Camargo Barros, Ph.D 
Professor titular Esalq/USP; coordenador científico do Cepea

 

Pesquisadores Cepea
Adriana Ferreira Silva, Dra.
Arlei Luiz Fachinello, Dr.
Nicole Rennó de Castro, MSc
Leandro Gilio, MSc

 

Equipe de apoio

Gustavo Ferrarezi Giachini,  Bel.

Séries de Preços