MILHO: Seca no Sul eleva cotações

Os estados mais castigados com a seca são o Rio Grande do Sul e o Paraná, embora algumas áreas de Santa Catarina também se encontrem em situação desfavorável. No Rio Grande do Sul, a Emater-RS prevê redução na safra de verão de milho de até 45% frente à estimativa inicial, passando para 2,67 milhões de toneladas. No Paraná, a Seab/Deral aponta que 32% das lavouras encontram-se na fase de frutificação, etapa que exige maior quantidade de água, o que reforça a expectativa de quebra de produção nesse estado, principal produtor de milho na safra verão, respondendo por 20% da oferta brasileira durante a safrinha, na média dos últimos cinco anos. Já em Santa Catarina, a produção de milho deve diminuir entre 15% e 20%, segundo o Instituto Cepa. A safra de verão segue, portanto, ameaçada, assim como se mantém o atraso no plantio do milho safrinha. Esses dois fatores estão elevando os preços do grão no mercado interno. Entre 28 de fevereiro e 7 de março, o produto valorizou 4,09% no mercado de balcão (ao produtor) e 5,81% no de lotes. (Cepea)
voltar
Preencha o formulário para realizar o download
x
Deseja receber informações do Cepea?

Digite este código no campo ao lado