SUÍNOS: Animal vivo valoriza, mas cenário ainda preocupa

A menor oferta disponível em julho deu suporte às cotações do suíno vivo. Os preços reagiram mesmo com a continuidade do embargo russo e com o calor atípico, que normalmente reduz o consumo de carne suína. Em Concórdia (SC) e Cascavel (PR), os aumentos foram de 23% e 20%, respectivamente, no acumulado do mês. Apesar da recuperação, a situação do produtor ainda é delicada. O preço do animal em julho esteve 52% abaixo da cotação do mesmo período do ano passado, em termos reais, na região de Cascavel (PR). No Rio Grande do Sul, a desvalorização foi de 20%. Segundo a Secex, no acumulado do ano até julho, as exportações estão 30% inferiores em quantidade embarcada e 27,8% menores em receita obtida, frente ao mesmo período do ano passado. (Cepea)
voltar
Preencha o formulário para realizar o download
x
Deseja receber informações do Cepea?

Digite este código no campo ao lado