Mercado de Trabalho do Agronegócio

Variação na população ocupada (PO) do agronegócio e seus segmentos (2018 x 2017):

 

Insumos

-1,43%

Primário

-0,77%

Agroindústria

-0,56%

Agrosserviços

1,12%

Agronegócio total

-0,14%

Boletim Mercado de Trabalho

(2018)

 

 

Comentários de 2018:

 

A População Ocupada (PO) no agronegócio brasileiro manteve-se estável entre 2017 e 2018, somando 18,20 milhões de pessoas, de acordo com pesquisas do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, com base em dados da PNAD Contínua, do IBGE. No acumulado do ano, a participação do setor agro no total de ocupados no Brasil foi de 19,82%, ligeiramente inferior aos 20,11% observados em 2017.

 

Considerando-se os segmentos que compõem o agronegócio, de 2017 para 2018, foram observadas reduções no número de ocupados para os elos de insumos (de 1,43%), primário (de 0,77%) e indústria (de 0,56%). Por outro lado, o número de pessoas atuando em agrosserviços cresceu 1,12%. Pesquisadores do Cepea destacam que, ao ponderar os resultados pela importância que cada atividade detém no setor, nota-se que as culturas que mais impactaram na redução do contingente de ocupados na agropecuária foram os cereais e as atividades de pesca e aquicultura. No caso das agroindústrias, a queda observada esteve atrelada às indústrias de açúcar, moagem, bebidas, têxteis de base natural e papel e celulose.

 

Ao avaliar a mão de obra do agronegócio em termos de posição na ocupação, verifica-se continuidade na tendência de elevação no número de empregados sem carteira assinada observada nos últimos anos. De fato, o montante de ocupados nesta situação passou de 3 milhões em 2017 para 3,12 milhões em 2018. Contudo, cabe destacar que este movimento é também realidade para o mercado de trabalho do País como um todo. Os dados apontam que, entre 2017 e 2018, o total de empregos informais no Brasil aumentou 4,24%, ao passo que, no agronegócio, este percentual foi de 3,9.

 

Os rendimentos médios obtidos por ocupados no agronegócio, por sua vez, apresentaram crescimento real entre 2012 (início da série histórica) e 2018. No ano passado, os valores segmentados com base em posições na ocupação foram: de R$ 1.759,14 para empregados e outros (com alta de 10,92% em relação ao início da série), de R$ 5.567,49 para empregadores (alta de 1,43%) e de R$ 1.263,44 para trabalhadores atuando por conta própria (elevação de 7,54%).

 

Clique aqui e acesse a Evolução do Mercado de Trabalho no agronegócio e seus segmentos (pessoal ocupado)

 

Análises:

2018: População ocupada no agronegócio de mantém estável em 2018

3º trimestre de 2018: Número de ocupados no agro é o maior desde 2016

2º trimestre de 2018: Empregos sem carteira assinada e os de maior qualificação crescem no 1º semestre

1º trimestre de 2018: Pessoal ocupado no agronegócio cresce no 1º tri, impulsionado pelos elos industriais

2017: Em 2017, PIB cresce, mas agronegócio tem menos ocupados

 

Contato

cepea@usp.br

Equipe

Equipe

Coordenação

Geraldo Sant’Ana de Camargo Barros

 

Equipe técnica

Nicole Rennó Castro

Leandro Gilio

Ana Carolina de Paula Morais

Alexandre Nunes de Almeida

Marcello Luiz de Souza

Séries de Preços

Preencha o formulário para realizar o download
x
Deseja receber informações do Cepea?

Digite este código no campo ao lado