Mercado de Trabalho do Agronegócio

Variação na população ocupada (PO) do agronegócio e seus segmentos (jul-set/18 x abr-jun/18):

 

Insumos

0,36%

Primário

3,12%

Agroindústria

-0,21%

Agrosserviços

1,25%

Agronegócio total

1,78%

Boletim Mercado de Trabalho

(3º trimestre)

 

 

Comentários de 3º trimestre de 2018:

 

Após duas quedas trimestrais consecutivas, a População Ocupada (PO) no agronegócio cresceu 1,78% no terceiro trimestre de 2018 quando comparado aos três meses anteriores, segundo indicam pesquisas do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, com base em dados da PNAD Contínua, do IBGE.

 

Em termos absolutos, o total de empregados no setor agro atingiu 18,41 milhões de pessoas, número que não era observado desde o segundo trimestre de 2016. Já a evolução do contingente de trabalhadores do País foi de 1,52% no mesmo período. Com isso, a participação do setor agro no total de ocupados no Brasil foi de 19,88% no período de julho a setembro de 2018.

 

Ao analisar as variações no número de pessoas ocupadas registradas entre os segmentos que compõem o agronegócio, no período destacado (entre o segundo e o terceiro trimestres), houve crescimento para as atividades realizadas no segmento primário, ou “dentro da porteira” (3,12%), para os agrosserviços (1,25%) e para a indústria de insumos (0,36%). Já para a agroindústria processadora, o resultado foi de leve queda de 0,21% no número de pessoal ocupado.

 

Quanto aos ramos, pesquisadores do Cepea indicam que tanto a agricultura quanto a pecuária contribuíram para o aumento do número de ocupados atuando no segmento primário e, consequentemente, no agronegócio como um todo. Especificamente, nota-se que as lavouras do café, cana-de-açúcar, laranja, produção florestal e soja foram as que mais influenciaram no desempenho positivo do segmento primário de base vegetal, ao passo que cereais e uva limitaram a performance. Já na pecuária, todas as atividades analisadas cooperaram para o crescimento da população ocupada no segmento, com destaque para a bovinocultura.

 

Adicionalmente, também marcou o terceiro trimestre de 2018 a tendência já observada nos últimos períodos no mercado de trabalho do agronegócio: melhora no nível médio de qualificação da população ocupada total no setor, mas, ao mesmo tempo, aumento no nível de informalidade dos empregos.

 

Clique aqui e acesse a Evolução do Mercado de Trabalho no agronegócio e seus segmentos (pessoal ocupado)

 

Análises:

2º trimestre de 2018: Empregos sem carteira assinada e os de maior qualificação crescem no 1º semestre

1º trimestre de 2018: Pessoal ocupado no agronegócio cresce no 1º tri, impulsionado pelos elos industriais

2017: Em 2017, PIB cresce, mas agronegócio tem menos ocupados

 

Contato

cepea@usp.br

Equipe

Equipe

Coordenação

Geraldo Sant’Ana de Camargo Barros

 

Equipe técnica

Nicole Rennó Castro

Leandro Gilio

Ana Carolina de Paula Morais

Alexandre Nunes de Almeida

Marcello Luiz de Souza

Séries de Preços

Preencha o formulário para realizar o download
x
Deseja receber informações do Cepea?

Digite este código no campo ao lado