Metodologia Indicador do Suíno Vivo CEPEA/ESALQ

ESPECIFICAÇÃO DO PRODUTO: Suíno vivo pronto para abate (animal terminado, macho ou fêmea, entre 80 e 120 quilos); preço ao produtor; são considerados apenas negócios realizados (não entram valores nominais);
UNIDADE DE MEDIDA/MOEDA: Quilo vivo em Reais e em dólar. O câmbio considerado é o comercial, preço de venda, das 16h30;
ENTREGA: Os indicadores do RS, SC e PR consideram o animal a retirar na granja (de produtores independentes e integrados); os indicadores de SP e MG, consideram o animal posto no frigorífico (frete incluso) por produtores independentes;
REGIÕES DE REFERÊNCIA: Indicadores do SUL - regiões onde o animal é produzido:
- RS: Erechim, Santa Rosa, Serra Gaúcha e Vale do Taquari
- SC: duas regiões são consideradas: Braço do Norte e Oeste Catarinense
- PR: Arapoti e Sudoeste Paranaense
INDICADORES DO SUDESTE - regiões de maior consumo (principais destinos): - SP: Avaré, São José do Rio Preto e SP-5 (Bragança Paulista, Campinas, Piracicaba, São Paulo e Sorocaba)
- MG: Belo Horizonte, Ponte Nova, Patos de Minas e Sul de Minas
BASE DE PONDERAÇÃO: O peso de cada região na composição do Indicador estadual é definido com base na distribuição do rebanho entre as mesorregiões do estado, conforme apontado pela Pesquisa Pecuária Municipal do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
PERIODICIDADE: O levantamento é diário, mas os indicadores refletem a média móvel dos últimos cinco dias úteis. Os Indicadores Mensais representam a média simples dos indicadores diários.
AGENTES CONSULTADOS NA PESQUISA: Frigoríficos, suinocultores, cooperativas e corretores (intermediários).
IMPORTANTE: A metodologia de cálculo dos Indicadores de suínos dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul foi alterada a partir de 04 de novembro de 2010. Até então, era considerado o valor posto no frigorífico e não entravam negócios entre indústria e integrado. Com a mudança, os indicadores do Sul deixam de incluir frete do animal até o frigorífico e passam a abranger negócios com integradoras, sendo que os preços finais contêm bonificações.
OUTROS LEVANTAMENTOS SOBRE O MERCADO DE SUÍNOS: O Cepea acompanha também os preços das carcaças comum e especial, bem como dos cortes. Há pesquisas contínuas ainda sobre os custos de produção. 
Fonte: Cepea

Contato

Equipe

Equipe

Coordenador
Geraldo Sant’Ana de Camargo Barros, Ph.D
Professor sênior do Depto de Economia, Administração e Sociologia, Esalq/USP

 

Pesquisador responsável:
Sergio De Zen, Dr.
Professor do Depto de Economia, Administração e Sociologia
sergdzen@usp.br

 

Pesquisador
Thiago Bernardino de Carvalho
tbcarval@cepea.org.br

 

Analistas
Marcos Debatin Iguma
Regina Mazzini Rodrigues Biscalchin

Renato Prodoximo 

 

Equipe de apoio
Luiz Gustavo  Sussumu Tutuí
Paula Orizio Rodrigues
Priscila Morgado de Moura
Fernando Crevelário
Beatriz Souza Uemura
Claudia Scarpelin 

 

Séries de Preços