Metodologia Indicador do Suíno Vivo CEPEA/ESALQ

ESPECIFICAÇÃO DO PRODUTO: Suíno vivo pronto para abate (animal terminado, macho ou fêmea, entre 80 e 120 quilos); preço ao produtor; são considerados apenas negócios realizados (não entram valores nominais);
UNIDADE DE MEDIDA/MOEDA: Quilo vivo em Reais e em dólar. O câmbio considerado é o comercial, preço de venda, das 16h30;
ENTREGA: Os indicadores do RS, SC e PR consideram o animal a retirar na granja (de produtores independentes e integrados); os indicadores de SP e MG, consideram o animal posto no frigorífico (frete incluso) por produtores independentes;
REGIÕES DE REFERÊNCIA: Indicadores do SUL - regiões onde o animal é produzido:
- RS: Erechim, Santa Rosa, Serra Gaúcha e Vale do Taquari
- SC: duas regiões são consideradas: Braço do Norte e Oeste Catarinense
- PR: Arapoti e Sudoeste Paranaense
INDICADORES DO SUDESTE - regiões de maior consumo (principais destinos): - SP: Avaré, São José do Rio Preto e SP-5 (Bragança Paulista, Campinas, Piracicaba, São Paulo e Sorocaba)
- MG: Belo Horizonte, Ponte Nova, Patos de Minas e Sul de Minas
BASE DE PONDERAÇÃO: O peso de cada região na composição do Indicador estadual é definido com base na distribuição do rebanho entre as mesorregiões do estado, conforme apontado pela Pesquisa Pecuária Municipal do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
PERIODICIDADE: O levantamento é diário, mas os indicadores refletem a média móvel dos últimos cinco dias úteis. Os Indicadores Mensais representam a média simples dos indicadores diários.
AGENTES CONSULTADOS NA PESQUISA: Frigoríficos, suinocultores, cooperativas e corretores (intermediários).
IMPORTANTE: A metodologia de cálculo dos Indicadores de suínos dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul foi alterada a partir de 04 de novembro de 2010. Até então, era considerado o valor posto no frigorífico e não entravam negócios entre indústria e integrado. Com a mudança, os indicadores do Sul deixam de incluir frete do animal até o frigorífico e passam a abranger negócios com integradoras, sendo que os preços finais contêm bonificações.
OUTROS LEVANTAMENTOS SOBRE O MERCADO DE SUÍNOS: O Cepea acompanha também os preços das carcaças comum e especial, bem como dos cortes. Há pesquisas contínuas ainda sobre os custos de produção. 
Fonte: Cepea

Contato

Equipe

Equipe

Coordenador

Geraldo Sant'Ana de Camargo Barros, Ph.D 
Professor do Depto. de Economia, Administração e Sociologia Esalq/USP


Pesquisador responsável
Sergio De Zen, Dr. 
Professor Depto. de Economia, Administração e Sociologia
sergdzen@usp.br

 

Gestora executiva
Gabriela Garcia Ribeiro, M.a
gribeiro@cepea.org.br 


Analistas

Juliana Ferraz 

Maristela de Mello Martins


Equipe de apoio
Claudia Scarpelin

Luiz Gustavo Susumu

Jaqueline Massolla Gonçalves

Ana Flávia Borin Vitório

Séries de Preços