PIB do Agronegócio Brasileiro

O Cepea calcula o PIB do Agronegócio com apoio financeiro da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

 

                                                                                       


 

Jan-Fev/18*

PIB-Volume

5,52%

Jan-Fev/18*

Preços relativos

-6,47%

Jan-Fev/18*

PIB-Renda

-1,31%

 Boletim Cepea do Agronegócio

*Taxas anuais calculadas com base em informações disponíveis de janeiro a novembro de 2017. Para a produção agrícola, considera-se as mais recentes estimativas de safra.

 

Nota técnica sobre os ajustes metodológicos do PIB do Agronegócio do Brasil.

                                                                       

Comentários do 1º bimestre de 2018: 

 

Os dados avaliados até fevereiro de 2018 do PIB do agronegócio brasileiro indicam queda de 0,12% na renda do setor no mês e, com isso, baixa de 0,23% no acumulado do primeiro bimestre e projeção baixista na evolução anual (1,37%). Ressalta-se que tais dados refletem as projeções iniciais de produção das atividades do agronegócio e preços relativos ao primeiro bimestre de 2018 com relação ao mesmo período do ano anterior. Dados importantes, como os de produção pecuária, ainda não estavam disponíveis para avaliação até o fechamento deste relatório. Portanto, as projeções agregadas devem passar por alterações significativas nos próximos.


No ramo agrícola, o segmento primário registrou queda significativa de 28,57% na projeção anual. Neste caso, cabe destacar que os preços agrícolas ao final de 2017 estavam em baixo patamar, devido à grande oferta, gerando um efeito inercial nos preços de janeiro e fevereiro de 2018, quando comparados com os valores de janeiro e fevereiro de 2017 (queda de 7,99%, em média). Devido também ao patamar de grande produção em 2017, a projeção média de crescimento para a produção das culturas acompanhadas neste ano ficou limitada a apenas 0,88%. Ainda assim, segundo a Conab, a safra de grãos a ser colhida no ano deve ser a segunda maior da história. Já para a indústria de base agrícola, para fevereiro, verifica-se continuidade da tendência de recuperação, com crescimento estimado para as principais atividades do segmento. Essa recuperação, por sua vez, segue impulsionada pelo aumento da produção agroindustrial, diante de preços estáveis. Para o ramo pecuário, menores preços têm pressionado a renda nos diversos elos das cadeias, resultado, de modo geral, de uma demanda ainda enfraquecida pelos produtos.


No PIB-volume do agronegócio, calculado pelo critério de preços constantes, as estimativas para 2018 são de alta de 2,66% para insumos, queda de 0,84% para o primário, aumento de 9,74% para a agroindústria e elevação de 6,43% para os agrosserviços, que se refletem na alta de 5,39% estimada para o agronegócio –Ver Tabela A4 – Anexo I. 

 

 

Clique aqui e acesse a análise do PIB-renda.

 

PIB do agronegócio brasileiro de 1996 a 2018.

Contato

pibcepea@usp.br

Equipe

Equipe

Coordenador
Geraldo Sant'Ana de Camargo Barros, Ph.D 
Professor titular Esalq/USP; coordenador científico do Cepea

 

Pesquisadores Cepea
Adriana Ferreira Silva, Dra.
Arlei Luiz Fachinello, Dr.
Nicole Rennó de Castro, MSc
Leandro Gilio, MSc

 

Equipe de apoio

Gustavo Ferrarezi Giachini,  Bel.

Ana Carolina Morais, Bel.
Marcello Luiz de Souza, Bel. 

Séries de Preços