O Boletim do Suíno de julho está disponível no site!

Cepea, 12/08/2021 – Nesta edição, confira: 

 

Mercado em julho
Os preços do suíno vivo e da carne encerraram o mês de julho em queda em todas as praças acompanhadas pelo Cepea, resultado da lentidão das vendas domésticas e do menor ritmo das exportações. Apesar do aumento na procura por lotes de animais para abate por parte de frigoríficos, dado o incremento nas vendas ao atacado doméstico em alguns momentos pontuais, colaboradores consultados pelo Cepea relataram que, na maior parte do mês, o movimento foi fraco. Leia mais.

 

Preços e exportações
As exportações brasileiras de carne suína, incluindo produtos in natura e processados, recuaram um pouco em julho. No entanto, apesar da queda mensal frente a junho, o volume embarcado ainda seguiu como um dos maiores da série histórica da Secex. O bom desempenho dos embarques ajudou a aquecer a liquidez no mercado doméstico, principalmente do animal vivo. Leia mais.

 

Relação de troca e insumos
As fortes desvalorizações do suíno vivo no mercado independente no início de julho reduziram o poder de compra dos produtores frente aos principais insumos consumidos na atividade: milho e farelo de soja. A baixa na média mensal interrompeu a recuperação no poder de compra observada em junho. Leia mais.

 

Carnes concorrentes
Após iniciarem julho em ritmo lento, as vendas de carne suína se recuperaram na segunda quinzena do mês. A melhora na liquidez esteve atrelada ao aumento da competitividade da proteína suína frente às principais concorrentes, as carnes bovina e de frango, devido à sua desvalorização. Em julho, a diferença entre os preços das carnes suína e de frango foi a menor desde abril de 2020. Leia mais.

voltar
Preencha o formulário para realizar o download
x
Deseja receber informações do Cepea?

Digite este código no campo ao lado