Mudança metodológica nos Indicadores do Suíno Vivo CEPEA/ESALQ

Cepea, 01/08/2019 - Desde 1º de agosto de 2019, os Indicadores do Suíno Vivo CEPEA/ESALQ passaram a ter como base os valores recebidos por produtores independentes. Dessa forma, em Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, os preços recebidos pelos produtores integrados deixaram de ser incluídos no cálculo dos Indicadores. Além disso, os negócios a prazo agora são convertidos para à vista com base na Taxa CDI (até o final de julho de 2019, a taxa de desconto utilizada era a NPR). Quanto à ponderação dos Indicadores, na metodologia  adotada desde 1º de agosto de 2019, o peso de cada uma das regiões para o cálculo das médias estaduais passa a ser variável, de acordo com o rebanho de suínos dos municípios que constam na amostra do dia (até o encerramento de julho de 2019, a ponderação era fixa e tinha como base o rebanho de todos os municípios que formam cada uma das regiões). Ressalta-se que as informações quanto ao rebanho de suínos dos municípios são provenientes da Pesquisa Pecuária Municipal, do IBGE. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br